quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Safari na África

Ukutula Park


Sessão: Destinos


Queria MUITO fazer um Safari, mas também gostaria de conhecer outros lugares diferentes que ela tem a oferecer. Porém, eu só tinha UMA semana e esse tempo, DEFINITIVAMENTE, não dá para ir de um lugar para outro e aproveitar TUDO com calma e sem stress, como manda as férias.



Conversando com amigos e pesquisando na internet, descobri o Ukutula Lion Park & Lodge. Não é um safari, o objetivo é completamente outro e, caiu para mim como uma luva. Rs.

O Ukutula é uma Reserva Particular que recebe, especialmente leões, e outros felídeos órfãos, tratam, ajudam a restabelecer o instinto selvagem e depois devolvem à natureza.


Com esse objetivo, eles recebem apoio de vários voluntários e também de visitantes, mediante reserva, dispostos a conhecer esse trabalho e, aproveitar os programas que eles oferecem durante a visita.



O Programa começa como a Primeira foto, onde podemos conhecer esses Cub Lions (1 e 2 meses) e tocá-los, pegá-los no colo, brincar, receber "mordidas". Enfim, voltarmos ao tempo de criança. Mas isso, depois de esterilizar as mãos, calma! Muuuito bom!!!

Depois, nós partimos para os Teenagers Lions (6 meses), onde não podemos ter tanta liberdade assim. Entramos no viveiro, mas com cautela, porque eles são tão ariscos quantos os menores, porém, com garras e forças maiores. Somos alertados a evitar agachar, ficarmos de olho sempre às nossas costas (como forma de evitar o bote), mas ainda sim, nos sentindo super tranquilos, porque os guias do parque ficam sempre por perto, de olho.



Mais tarde, depois de um lanche, conhecemos a outra parte da reserva onde ficam os "bichinhos" que são cuidados, mas não podem ficar soltos com os visitantes.

Podemos ver até, o momento em que a comida chega e todos eles são alimentados. É demais!!!


Mas algo que todas as reservas de leões oferecem e que era um grande mistério, porque ninguém explicava como e eu fui até lá para descobrir, era: Como seria possível caminhar com os leões???

Eureka! Agora eu vou contar para vocês!!! É uma sensação de medo e euforia ao mesmo tempo, porque você passa o dia inteiro naquele universo selvagem, conhecendo TODOS os bichos e ouvindo os rugidos dos leões, sabendo que uma hora (não se sabe quando nem como), você vai estar cara-a-cara com eles. E essa tática vai te deixando com a sensação de: vou ou não vou??? Será que vou poder voltar atrás???

E a resposta é: NÃO! Depois que você decidir conhecer o recanto dos leões adultos, entrar no jipe que te leva até eles, voltar atrás é uma atitude que não existe nesse território. Risos.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Esse universo selvagem começa desde a entrada da reserva, onde, os Cervos (comida dos felídeos) ficam soltos na estrada e é avisado que: NÃO SE DEVE SAIR DO CARRO até chegar ao Lodge. Não saia, meu pneu furou e quando tentei sair do carro para ver o estado dele, dei de cara com aquelas carinhas meigas me olhando! Desisti, claro!

Agora, descrevendo as fotos da Segunda até a Sexta, vou contar nossa aventura Caminhando com os Leões.

Nessa segunda foto vocês podem observar que nós já estamos no chão (descemos do jipe), e os leões passam "raspando" em nós.
Como é feito: a guia nos explica todo o procedimento (não gritem, não corram) e pergunta se eles podem soltar os leões. Ficamos na mesma pista que eles, porém recuados, para que possam passar à nossa frente, em direção à ela, hipnotizados pela GALINHA, isso mesmo, os guias alimentam os leões e os distraem com PEDAÇOS DE GALINHA, durante todo o trajeto. Ela joga o pedaço de galinha para cada um deles (são 3, um macho e duas fêmeas) e eles ficam parados comendo, enquanto nós, ficamos estatelados, sem se mexer, observando a cena.

Na terceira foto aparece uma das guias e o SUPER LEÃO (uma das melhores fotos que tiramos), saltando sobre a árvore onde a galinha foi escondida.
Como é feito: depois de soltos e alimentados pela primeira vez, os leões aproveitam a liberdade e vão caminhando pela pista, aberta especialmente para a caminhada. Nesse momento os guias seguem atrás dos leões, observando-os e protegendo os visitantes, nós, que vamos (sempre juntos) atrás deles.

Conforme fomos avisados no início, não podemos nos afastar, não podemos voltar, não podemos gritar, muito menos correr em momento de desespero. E é realmente tudo bem sincronizado. São poucos os momentos em que os leões perdem a atenção às galinhas e focam em nós.

Na quarta foto (é a terceira e última parada antes do retorno) dá para perceber que os leões chegam bem perto de nós, mas mesmo assim, está tudo sobre controle.
Como é feito: os guias delimitam uma linha até onde podemos ir. É nosso ponto de proteção, ou seja, não podemos ultrapassar essa linha, nem os leões. E como é a última parada para o retorno (onde continuam acontecendo paradas), nós ficamos de uma forma, em que continuemos recuados para trás afim de que os leões voltem o mesmo caminho, sem passar na nossa frente. É como se fosse uma volta. 

Na quinta e na sexta foto, vocês podem curtir o momento de deleite dos leões depois de apanhar as galinhas. Inclusive, há brigas para ver quem fica com a galinha. Terminado o lanche, hora de fazer o caminho inverso.

E esse momento é o de maior tensão, pois ficamos pensando: e se eles não quiserem voltar? Como eles vão voltar sem passar na nossa frente e desviar o caminho???

Mas não há problema. As galinhas são jogadas à frente do caminho dos leões e eles saem da água correndo em direção ao retorno onde, UFA, eles já não estão mais tão perto.

Depois de liberados pelos guias, continuamos andando em direção a eles que, como acostumados, seguem devagarinho a trilha e olhando para os guias de vez em quando para saber quando haverá novos snacks. Risos.

Até chegar novamente ao viveiro, ainda ocorrem mais duas paradas, mais snacks e até um momento de aventura quando, uma das leoas percebe algo à sua volta e anda, sozinha, fora da trilha. Mas, não podemos parar. 

Logo depois os guias conseguem fazê-la voltar e, para terminar a emoção, quando ficamos pensando: será que eles vão querer entrar novamente no viveiro? Eles chegam antes dos guias à porta, param como cachorros e os esperam abrir com a MAIOR TRANQUILIDADE do mundo. Tranquilidade deles, porque minhas pernas estão a me deixar cair de tanto tremerem. Muitos risos!!!

Quando a guia pergunta: "Everybody is alived"? Eu sou a primeira a responder: "Yessssss, now surely!!!" Hahahahaha. E é isso, o segredo, além da distância que tomamos e NUNCA ficamos à frente dos leões, é que eles SÃO ALIMENTADOS durante GRANDE PARTE do percurso. Óbvio que eles foram alimentados antes, mas quem não conhece a famosa "fome de leão", não é mesmo???

Um detalhe que acho importante frisar é que esta é a ÚNICA RESERVA DE LEÕES, que nos permite pegar os cubs no colo! Essa eu não podia perder.

Para chegar até lá, vá até Johannesburg, se hospede, e parta para a Cidade de Brits (mão inglesa) há 3hs de distância (motorista prudente), obedecendo sinalizações e perímetros urbanos. Ou Pretória, há 2 horas.

Espero que tenham gostado da minha dissertação sobre a Nossa Aventura das Férias. Até à próxima!!!


Em nome dos leões: Curtam, curtam, curtam!!!!! Rsrsrsrs



4 comentários :

  1. Hahahahahahha, super interessante esta história da galinha. Agora eu entendi!!! Mas, mesmo assim, vcs foram corajosos. KKKKKK. Beijos. Tati.

    ResponderExcluir
  2. Uauuuu, que coragem!!! Adoreiiiiiiiiiiii!!! Gabi

    ResponderExcluir